sexta-feira, 26 de junho de 2009

Esperando em ti meu amado Jesus!



A minha vida, a tua vida meu irmão e a de nossa família está nas mãos do todo poderoso Deus!

Minha família, minha vida Jamais os deixarei sozinhos,
Pois sempre estarão comigo Esteja onde estiver De vocês sempre lembrarei Choros, risos, tudo jamais esquecerei. O tempo passa na vida e na memória Logo percebo que os laços são reais agora Meu amor é eterno O vento não leva O fogo não queima A água não carrega Sempre que estou só, sinto-os em meu coração Família feliz Família matriz Família que amo...

Djavan Antero.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Aprendendo com a vida...


A vida nos ensina cada coisa, mais eu sei que tudo acontece da maneira certa, e que Deus sabe o que faz, nos é que não sabemos o que estamos fazendo...

* * Parábolas de Jesus: A Figueira (Exortação à Vigilância)


Aprendei, pois, a parábola da figueira: quando já os seus ramos se renovam e as folhas brotam, sabeis que está próximo o verão. Assim também vós: quando virdes todas essas coisas, sabei que está próximo, às portas.

Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que tudo isso aconteça. Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão. Mas a respeito daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, senão o Pai.

Pois assim como foi nos dias de Noé, também será a vinda do Filho do Homem. Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio comiam e bebiam, casaram e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca. E não o perceberam, senão quando veio o dilúvio e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do Homem.

Então, dois estarão no campo, um será tomado, e deixado o outro; duas estarão trabalhando num moinho, uma será tomada, e deixada a outra. Portanto, vigiai, porque não sabeis em que dia vem o vosso Senhor.

Mas considerai isto: se o pai da família soubesse a que hora viria o ladrão, vigiaria e não deixaria que fosse arrombada a sua casa. Por isso, ficai também vós apercebidos; porque, à hora em que não cuidais, o Filho do Homem virá.

Jesus
Evangelho de Mateus cap. 24 vers. 32-44

* * Parábolas de Jesus: O Mordomo Infiel


Disse Jesus aos discípulos: Havia certo homem rico que tinha um mordomo; e este foi acusado perante ele de dissipar os seus bens.

E ele, chamando-o, disse-lhe: Que é isso que ouço de ti? Prestas conta da tua mordomia, porque já não podereis ser mais meu mordomo.

E o mordomo disse consigo: Que farei, pois que o meu senhor me tira a mordomia? Trabalhar na terra não posso, também de mendigar tenho vergonha, eu sei o que farei, para que quando for desapossado da mordomia me recebam em suas casas.

E, chamando a si cada um dos devedores ao seu senhor, disse ao primeiro: Quanto deves ao meu senhor?

E ele respondeu: Cem medidas de azeite. E disse-lhe: Toma a tua conta e, assentando-te já, escreva cinqüenta.

Disse depois a outro: E tú quanto deves? E ele respondeu: Cem alqueires de trigo. E disse-lhe: Toma a tua conta e escreve oitenta.

E louvou aquele senhor o injusto mordomo por haver procedido prudentemente, porque os filhos deste mundo são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz.

E eu vos digo: granjeai amigos com as riquezas da injustiça, para que, quando estas faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos.

Quem é fiel ao mínimo também é fiel ao muito; quem é injusto ao mínimo também é injusto no muito.

Pois, se nas riquezas injustas não fostes fiéis, quem vos confiará as verdadeiras?

E, se no alheio não fostes fiéis, quem vos dará o que é vosso?

Nenhum servo pode servir a dois senhores, porque ou há de aborrecer a um e amar ao outro, ou há de chegar a um e desprezar ao outro: Não podeis servir a Deus e a Mamom.

Jesus
Evangelho de Lucas cap. 16 vers. 1-13

Deus é perfeito




Sl 19:7 - A lei do SENHOR é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do SENHOR é fiel, e dá sabedoria aos símplices.

Há muito tempo, num reino distante, havia um rei que não acreditava nos desejos e na bondade de Deus. Tinha, porém, um súdito que sempre lhe lembrava dessa verdade, que dizia sempre: “Tudo que Deus faz é perfeito. Ele nunca erra!”

Um dia o rei saiu para caçar juntamente com seu súdito e uma fera da floresta o atacou. O súdito conseguiu matar o animal, porém não evitou que sua majestade perdesse o dedo mínimo da mão direita. O rei, furioso pelo que havia acontecido, e sem mostrar agradecimento por ter sua vida salva pelos esforços de seu servo, perguntou a este:

- E agora, o que você me diz? Deus é bom? Se Deus fosse bom eu não teria sido atacado e não teria perdido o meu dedo!

Respondeu o servo de Deus: - Meu rei, apesar de todas essas coisas, somente posso dizer-lhe que Deus é bom, e que mesmo isso, perder um dedo, é para o seu bem. Tudo que Deus faz é perfeito. Ele nunca erra. O rei, indignado com a resposta do súdito, mandou que o mesmo fosse preso na cela mais escura e suja do calabouço.

Após algum tempo, o rei saiu novamente para caçar e aconteceu de ser novamente atacado, desta vez por uma tribo de índios. Estes índios eram temidos por todos, pois faziam sacrifícios humanos para seus deuses. Mal prenderam o rei, passaram a preparar o ritual do sacrifício. Quando já estava tudo pronto e o rei já estava diante do altar, o sacerdote indígena, ao examinar a vítima, observou furioso:

- Este homem não pode ser sacrificado, é defeituoso! Falta-lhe um dedo! E, por causa disso, o rei foi liberto. Ao voltar para o palácio, muito alegre e aliviado, mandou libertar seu súdito e pediu que o mesmo viesse em sua presença. Ao ver o servo, abraçou-o afetuosamente, dizendo-lhe:

- Meu caro, Deus foi realmente bom comigo. Você já deve estar sabendo que escapei da morte justamente porque não tinha um dos dedos. Mas, ainda tenho em meu coração uma grande dúvida: se Deus é tão bom, por que permitiu que você fosse preso da maneira como foi? Logo você, que tanto O defendeu?

Disse sabiamente o servo: - Meu rei, se eu estivesse junto nessa caçada, certamente seria sacrificado em seu lugar, pois não me falta dedo algum.

Nem sempre o "calabouço" em que pensamos estar significa um lugar ruim. Às vezes, encontramo-nos ali justamente para sermos protegidos de dificuldades ainda maiores.

Lembre-se, Deus é perfeito em tudo, Ele te defenderá dos teus acusadores e te dará sabedoria para vencer as dificuldades da vida! Seja fiel ao Senhor, pois Ele te recompensará sem medida!



Ev. Luis Horlando

sexta-feira, 19 de junho de 2009

A arte de ser um vendedor...


BEM…SER VENDEDOR?! A ARTE DE SER VENDEDOR. ISSO MESMO, SER VENDEDOR É SER UM ARTISTA, UM ARTISTA QUE BUSCA MÉTODOS PRÓPRIOS E CRIA UMA PERSONALIDADE RACIONAL…

Dicas Bacanas


Crie um Diálogo

Ser um vendedor consultivo pode ser o diferencial na hora de fechar um negócio. Este tipo de vendedor é aquele que prevê um diálogo interativo centrado nas necessidades do cliente.

Quando os concorrentes têm o mesmo nível, a qualidade da conversa do vendedor faz toda a diferença. Os tipos consultivos estabelecem diálogos eficientes, o que os leva a aprender mais e aprofundar os laços a cada conversa. À primeira vista, parece fácil estabelecer uma fina sintonia entre vendedor e cliente, mas isso está longe de ser uma tarefa simples e ainda são poucos os vendedores realmente consultivos, existindo diversos outros tipos como: o carismático, que usa seu charme como arma de convencimento; o técnico, ótimo em conteúdo mas fraco na orientação para o cliente; e ainda o “matador”, que faz qualquer coisa para fechar a venda, mesmo que isso signifique sacrificar um relacionamento.

Esteja Sempre Preparado

Um bom vendedor está sempre se preparando – antes e depois de cada encontro com o cliente.

Os três passos a seguir demonstram a preparação ideal:

- Inicie com um planejamento estratégico. Reflita sobre seus objetivos de longo prazo e estabeleça metas imediatas para a conversa que terá com o cliente. Avalie o resultado do contato e o ritmo de sua argumentação, e acelere rumo ao fechamento da venda. Nunca se esquece de abrir espaço para o cliente falar.

- O próximo passo é fazer a análise do cliente. Pense nos objetivos do cliente, sua situação, necessidades e critério de decisão.

- Finalmente, concentre-se na preparação técnica do produto. Mostre como sua linha de produtos atende às necessidades do cliente, antecipe as dificuldades e personalize o material.

Confie em Suas Habilidades

O vendedor deve adquirir confiança em si mesmo e possuir seis principais habilidades: postura, relacionamento, questionamento, compreensão, posicionamento e verificação. É importante procurar sempre aperfeiçoar essas habilidades, avaliando-as uma por uma, e assim, sua performance será melhorada.

Não Receie a Rejeição

A maior causa das falhas nas vendas é o medo da rejeição que, muitas vezes, representa um sinal da falta de confiança nas suas capacidades. Quem não tem uma atitude de vitória, tende a encarar a rejeição para o lado pessoal. Elimine este sentimento. O cliente que não aceita uma proposta está rejeitando uma transação, e não a pessoa. Estar consciente desse fato ajuda o vendedor a manter-se calmo, paciente e persistente - três dos principais requisitos para uma boa venda.

Quem compra um produto ou serviço deseja melhorar a sua situação, resolver um problema ou poupar dinheiro.

Estabeleça uma Relação de Confiança

As importantes habilidades de questionamento, compreensão, posicionamento e verificação são chamadas habilidades de conhecimento. Mas a capacidade de estabelecer um relacionamento de confiança, com entrosamento e empatia, é considerada uma habilidade de sentimento.

O medo é uma presença constante do ato da venda. Os vendedores têm de ultrapassar o medo da rejeição. Mas, não nos devemos esquecer que os clientes também receiam falhar. Eles têm medo de se enganar, de comprar em demasia, de estarem pagando mais do que a concorrência, ou de apostar num produto sem ter as provas do seu sucesso. A compra é, em suma, um ato de risco. Para vender, terá de convencer o cliente de que esse risco é mínimo. Logo, quando estiver frente a frente com o cliente, não procure apenas vender imediatamente, mas sim criar uma relação duradoura de confiança.

Demonstrar empatia e compreensão pelo que o cliente está falando ou sentindo produz um efeito poderoso. Se um cliente fala de um problema, um bom vendedor, em geral, reage com uma frase do tipo “Como você conduziu essa situação?”. Porém, um vendedor excelente e empático consegue perguntar demonstrando consideração e, o mais importante, estimular uma resposta detalhada. Ele falaria, seguido da pergunta, algo como “Lamento que isso tenha ocorrido”.

Portanto, expresse consideração, seja compreensivo e estabeleça uma relação de confiança, com laços de amizade para com o cliente.

Faça Perguntas Específicas

Muitos vendedores acreditam que para vender basta iniciar um diálogo e apresentar, logo de início, o produto. Quando os vendedores se propõem a fazer perguntas, o fazem de um modo nada inspirador, disparando perguntas sem nenhum critério ou pesquisa prévia, o que limita o nível de cooperação por parte do cliente.

Assim, em vez disso, direcione sempre a conversa para as necessidades do cliente e verifique se ele se dispõe a responder algumas perguntas. Estimule o cliente a participar do diálogo explicando a razão para tantas perguntas como “Para me ajudar a entender o seu problema, posso saber o que você... ?”.

Antecipe as Perguntas dos Clientes

Tente responder às seguintes questões que antecedem uma venda:

- O que estou vendendo? Os clientes não procuram produtos e serviços, mas sim, soluções para os seus problemas específicos.

- Quem é o seu cliente ideal? Compare-o com os seus clientes habituais através de critérios como sexo, condição socioeconômica, cultural, profissão e idade.

- Por que compram? Saiba quais são as vantagens tangíveis e intangíveis que os consumidores procuram.

- Onde estão os clientes potenciais? Veja se poderão pertencer, por exemplo, a uma dada área geográfica ou a um grupo específico de consumidores.

- Quando é que eles compram? Conheça a freqüência e os hábitos de compra (por exemplo, no início do mês, quando recebem o salário).

- Quem são os concorrentes? Veja quais os seus pontos fortes e fracos, e que necessidades satisfazem.

- Quem ainda não é seu cliente? Saiba quem poderá se beneficiar do seu produto, mas ainda não o conhece ou não esteja comprando.

Identifique a Concorrência

Seus concorrentes são fortes, portanto é sua obrigação conhecê-los em detalhes e é fundamental compreender como o seu cliente se sente a respeito de seus concorrentes diretos. Dessa forma, você pode montar um contra-ataque eficiente, sem criticar nem promover a concorrência.

Como parte da preparação, descubra o máximo que puder pesquisando na internet, em publicações especializadas, relatórios anuais, junto a outros colegas e também por meio de campanhas publicitárias. É de grande valia lembrar que os próprios clientes são uma grande fonte de informação sobre a concorrência. Eles quase sempre se dispõem a responder perguntas do tipo: “Com quem mais você conversou?”, “O que você achou deles?”, “O que achou de trabalhar com eles?”, “Como você os compara a nós?”.

Independentemente do teor das respostas dos clientes, não fique na defensiva e nem fale mal do concorrente. Críticas diretas não são uma estratégia inteligente, até mesmo porque você estará insultando o cliente que escolheu o concorrente.

PESQUISAS E DADOS ESTATÍSTICOS

  • Pesquisa feita pelo Sindicato do Comércio Varejista de Ribeirão Preto (Sincovarp):

Por que se perde um cliente?

1% - falecimento do cliente
5% - mudança de endereço
5% - amizade com o concorrente
10% - vantagens oferecidas pelo concorrente
14% - reclamações não atendidas, ou desapontamentos com a qualidade do produto ou serviço
65% - indiferença do pessoal que faz o atendimento.

“Cliente não reclama. Em vez disso, troca de empresa.”

  • Em outra pesquisa, realizada pelo SENAC-SP sobre o comércio varejista do Estado de São Paulo, perguntaram aos entrevistados:

Como você vê a qualidade do atendimento que lhe oferecem no comércio?


- para 10% dos clientes pesquisados, o atendimento que recebem é ruim ou péssimo;

- para 85% dos clientes pesquisados, o tratamento recebido é indiferente ou neutro;
- para apenas 5% dos clientes, o atendimento que recebem é considerado bom;

Referências Bibliográficas:

  1. Richardson, Linda. Como Ser Um Vendedor De Sucesso : Coleção Desenvolvimento Profissional - Você S/A. Editora Sextante
  2. http://www.sebraesp.com.br/principal/abrindo%20seu%20neg%C3%B3cio/produtos%20sebrae/artigos/listadeartigos/tecnicas_vender_mais_melhor.aspx
  3. http://empresas.globo.com/Empresasenegocios/0,19125,ERA736695-2991,00.html
  4. http://www.cesarromao.com.br/artigo1.html