quarta-feira, 4 de maio de 2011




Quando eu rio
Quando eu rio, rio seco, como é seco o sertão
Meu sorriso é uma fenda escavada no chão

Quando eu choro
Quando choro, é uma enchente surpreendendo o verão
É o inverno, de repente inundando o sertão

Quando eu amo
Quando amo, eu devoro todo meu coração
Eu odeio, eu adoro, numa mesma oração

Baioque

Composição : Chico Buarque

Nenhum comentário: